A INGERÊNCIA ECOLÓGICA

21.98 19.79

Saqueada, devastada por uma maioria de países pobres; esgotada, desperdiçada por uma minoria de Estados ricos, a Terra não pára de dar as suas riquezas, para assegurar a sobrevivência de uma espécie particularmente ingrata: o homem.

Em stock

10% de Desconto Imediato
Compre agora e ganhe 19 Pontos!
Frequentemente comprado em conjunto
16.75 15.07
1 × QUEM É O JUIZ?

Em stock

17.80 16.02
21.98 19.79

Saqueada, devastada por uma maioria de países pobres; esgotada, desperdiçada por uma minoria de Estados ricos, a Terra não pára de dar as suas riquezas, para assegurar a sobrevivência de uma espécie particularmente ingrata: o homem. Até ao momento, ela tem alimentado, precariamente uns, e fartamente outros, mas nenhum lhe rendeu a sua gratidão. E a acumulação de meios de destruírem a Terra pacificamente, é o verdadeiro produto da evolução da humanidade, dando a impressão de que possuímos um outro planeta de alternativa. Na sociedade internacional, e em qualquer época, a ideia da soberania dos Estados sempre prevaleceu à da ingerência. Contudo, que significado teria uma sem a outra? Torna-se evidente que a soma de todos os problemas ecológicos representa uma factura que a Natureza não poderá honrar indefinidamente. A tolerância face à poluição que se verifica em certos países não é mais tolerável; é, pois, necessário submeter a noção de soberania a um novo exame: o que nos leva a reelaborar uma nova reflexão sobre o princípio de ingerência. Este é o tema da presente obra, que, sem apontar para uma ideia catastrófica, convida a pensar, enquanto ainda é tempo, sobre o princípio fundamental, se bem que ainda não aplicado, que nenhum país tem o direito de fazer opções tecnológicas susceptíveis de prejudicar o ambiente mundial. No momento em que um novo tipo de direito tenta surgir no contexto pouco favorável da soberania dos Estados, seria lamentável limitar o âmbito da discussão às habituais análises diplomáticas, onde reinam famosos manipuladores da palavra. Seria igualmente perigoso, a coberto do respeito pela Democracia, criar instrumentos de intervenção, cuja utilização seria, à partida, paralisada por inúmeros artifícios do juridismo internacional. E no domínio do direito do Ambiente, a imaginação deverá, então, estar à altura do saber-fazer tecnológico dos poluidores.

Peso0.52 kg
ISBN Oficial

9789728407018

Editora Oficial

Edições Piaget

Comentários

Não há comentários ainda.

Registrado somente em clientes que compraram este produto pode deixar um comentário.

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no nosso website. Ao navegar, o utilizador concorda com a nossa utilização de cookies.

Seleccione um ponto de entrega

Produto adicionado!
O produto já está na lista de desejos!
Removido da lista de Desejos

Carrinho de compras

fechar