A carregar...

O HOMEM ARTIFÍCIO

19.89 17.89

A técnica pode ser uma coisa má, uma cilada e uma devastação, uma falsa natureza que pretende substituir a verdadeira, desejos fabricados substituindo alegrias reais, artifícios, miragens e parecenças que manipulam os corpos e destroem as almas.

Em stock

10% de Desconto Imediato
Compre agora e ganhe 17 Pontos!
Receba entre os dias 18. Abril - 21. Abril
O HOMEM ARTIFÍCIO
Frequentemente comprado em conjunto
14.14 12.73
1 × A CLONAGEM EM QUESTÃO

Em stock

17.80 16.02
17.80 16.02

A técnica pode ser uma coisa má, uma cilada e uma devastação, uma falsa natureza que pretende substituir a verdadeira, desejos fabricados substituindo alegrias reais, artifícios, miragens e parecenças que manipulam os corpos e destroem as almas. Tudo isto foi-nos muitas vezes repetido. A multiplicação das máquinas, a exploração das energias, a industrialização da alimentação, a transformação das espécies vivas, entre outros traços, como sinais de catástrofes irremediáveis. Dominique Bourg critica metodicamente o conjunto destes lugares-comuns. Sublinha-lhes os excessos e os impasses, tanto em Heidegger como em Jacques Ellul, por exemplo, de uma maneira bastante dura. O seu trabalho é preciso, claro, marcado pelo bom senso. Felizmente que a técnica existe! Esta é a sua primeira constatação. O ponto central da sua argumentação é, em simultâneo, muito simples e muito forte: sem técnica não há humanidade. É no meio dos utensílios e das transformações do seu meio ambiente que o Homem se produz a si próprio. Animal tão fabricante quanto político ou falante. O interesse desta afirmação está no dar à técnica o seu lugar primordial e fundador na própria existência do homem. O artifício é essencial e fundador: é fazendo que o homem se faz. O importante está em ver que a existência humana é inseparável deste fazer e não saberia conceber-se sem ele. No entanto, esta afirmação não interdita de forma alguma a denúncia dos riscos industriais e o alertar para uma prevenção contra as catástrofes que nos atentam. Dominique Bourg conclui que o antropocentrismo é o horizonte inultrapassável das nossas análises e das nossas decisões.

ISBN Oficial

9789727711673

Editora Oficial

Edições Piaget

Comentários

Não há comentários ainda.

Registrado somente em clientes que compraram este produto pode deixar um comentário.

AutorBOURG, DOMINIQUE
EditoraEdições Piaget
Primeira Publicação1999
FormatoFísico - Impresso
IdiomaPortuguês
ISBN9789727711673
EAN978-972-771-167-3
Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no nosso website. Ao navegar, o utilizador concorda com a nossa utilização de cookies.

Seleccione um ponto de entrega

Seja notificado quando o produto estiver em stock. Indique o seu e-mail abaixo
Produto adicionado!
O produto já está na lista de desejos!
Removido da lista de Desejos

Carrinho de compras

fechar